Exército de Salvação e ONU inauguram centro para refugiados e brasileiros vítimas de violência em Roraima

A partir de hoje, 18 de Janeiro de 2019 , Roraima irá inaugurar o Centro de Convivência e Atendimento Psicossocial para brasileiros, refugiados e migrantes que sofreram violência baseada em gênero ou outras violações de direitos humanos.

O Centro é iniciativa vinculada ao projeto “Pontes” do Exército de Salvação em parceria com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), com financiamento da União Européia.

O serviço de convivência e atendimento psicossocial é parte da resposta ao fluxo migratório venezuelano visando apoiar Roraima e o município de Boa Vista. Entre os serviços que vão ser disponibilizados, estão a assistência social e psicológica, orientação jurídica, oficinas terapêuticas e de habilidades para a vida, além de atividades socioeducativas.

O objetivo, além de ampliar a proteção de pessoas refugiadas e migrantes, é garantir a integração e coexistência pacífica com a população local. Os atendimentos serão realizados por profissionais com formação específica em cada área e farão o encaminhamento dos casos que necessitarem de outros atendimentos para a rede de proteção de direitos de Boa Vista e Roraima.

O horário de funcionamento para o atendimento geral será de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 12h e das 13h às 17h30.

Orientação jurídica,  às terças e quintas-feiras, das 8h30 às 12h e das 13h às 17h, e às sextas-feiras das 8h às 12h.

Inauguração do Centro de Convivência e Atendimento Psicossocial
Local: Rua Paulo VI, 275 – Mecejana /Boa Vista – RR
Data: sexta-feira, 18
Horário: 8h30.

Para mais informações sobre esse projeto, acesse >>

https://nacoesunidas.org/roraima-onu-e-exercito-salvacao-inauguram-centro-para-refugiados-e-brasileiros-vitimas-de-violencia/

 

Exército de Salvação em Ruanda ajuda refugiados do Congo

O Exército de Salvação em Ruanda está respondendo ao crescente número de refugiados que cruzam a fronteira fugindo do conflito na República Democrática do Congo. Um centro transitório em Nkamira, que foi construído inicialmente para 2.000 pessoas e depois ampliado para abrigar 5.000 pessoas, agora abriga mais de 9.000.

O Major Robert Tuftström com moradores do acampamento transitório Nkamira.
O Major Robert Tuftström com moradores do acampamento transitório Nkamira.

Por essa causa um novo acampamento foi preparado em Mugombwa, e muitas pessoas estão se mudando para lá.

A maioria dos refugiados fugiram carregando apenas itens essenciais. Muitos têm problemas respiratórios e quase 90 por cento dos residentes no centro transitório são mulheres ou crianças.

Tendo mostrado experiência na distribuição de itens não perecíveis, o Exército de Salvação foi contatado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) com o pedido de apoiar os refugiados recém chegados a Mugombwa com colchões e kikoyis (um tecido usado como roupa e como lençol). O Exército de Salvação também está fazendo parte do comitê governamental criado pelo Ministério de Gerenciamento de Disastres e Refugiados do governo ruandês (MIDMAR) que está respondendo à crise.

Fundos iniciais foram levantados – incluindo US$ 28.000 do Quartel Internacional da instituição em Londres – e o Exército de Salvação espera ser capaz de fornecer colchões e kikoyos para o primeiro grupo de 1.500 refugiados que chegarão no acampamento nos próximos dias.

Reportagem do Serviço Internacional de Emergência
Quartel Internacional do Exército de Salvação
Tradução Livre (Tiago Mendes)
Fonte: http://www.salvationarmy.org/ihq/news/inr251013b

ONU designa o Exército de Salvação para assistir 20.000 haitianos

O Exército de Salvação está cuidando de 20.000 que residem provisoriamente em barracas construídas num campo de futebol (Foto: Jeremy Watt)
O Exército de Salvação está cuidando de 20.000 que residem provisoriamente em barracas construídas num campo de futebol (Foto: Jeremy Watt)

A Organização das Nações Unidas designou o Exército da Salvação como a instituição principal responsável pelo atendimento a 20.000 pessoas desabrigadas pelo tremor de terra no Haiti. Os sobreviventes construíram barracas em um estádio de futebol e em uma praça ao lado da unidade principal do Exército de Salvação em Port-au-Prince.
Com isso, o Exército da Salvação assume a responsabilidade de abrigar as pessoas em unidades de habitação familiar dentro das normas da ONU e também está fornecendo água potável, remédios, suprimentos básicos de saúde, higiene e saneamento. Em cooperação com as Nações Unidas para o Programa Mundial de Alimentos, a organização também vai distribuir, de forma segura, alimento para aqueles dentro do seu cuidado.
O Exército de Salvação continua a prestar socorro e dar suprimentos a milhares de haitianos. Mais do que 350.000 refeições, 18.000 litros de água, centenas de barracas, artigos de bebê e suprimentos médicos foram entregues. Além disso, mais de 1.200 pessoas receberam assistência médica e a organização tem re-inaugurado uma escola para crianças de 3 a 6, em um local provisório no complexo principal.
“As dependências do Exército da Salvação viraram lares para milhares de famílias”, disse Brian Burditt, diretor de Missão Mundial. “Será a nossa responsabilidade cuidar dessas famílias e fazer o máximo para apoiá-las como alívio e continua como a reconstrução começa”.
O Exército de Salvação atua no Haiti desde 1950 e seus membros, que foram afetados pelo terremoto, estão agora trabalhando para ajudar os necessitados. A instituição opera três centros médicos, escolas que servem pelo menos 10.000 crianças, programas de alimentação, lares para crianças e atividades relacionadas com a igreja no país.