Exército de Salvação preparado para ajudar nas Filipinas

filipinas-tufao

As equipes do Exército de Salvação nas Filipinas estão se preparando para prover assistência a milhares de pessoas afetadas pelo Tufão Haiyan (também conhecido como Tufão Yolanda).

Mais de 10.000 pessoas podem ter perdido suas vidas no desastre, e centenas de milhares estão desabrigadas, sem acesso à água e energia.

As áreas mais afetadas estão isoladas, e muitas comunidades estão incomunicáveis com o restante do pais, o que torna ainda mais difícil se ter uma ideia clara de exatamente onde a necessidade é maior.

O Tenente-Coronel Bob Lee (Secretário em Chefe do Exército de Salvação nas Filipinas) diz que levará mais de uma semana para determinar a extensão completa do desastre. “O governo e as agências não-governamentais estão lutando para que as rodovias sejam acessíveis novamente,  para que os suprimentos de resgate possam alcançar as sobreviventes e que os cuidados médicos cheguem aos feridos e doentes. Há também a possibilidade de um aumento no número de doenças.”, diz o coronel.

O Chefe Territorial do Exército de Salvação nas Filipinas, Wayne Maxwell, diz: “Nós estamos pedindo uma ajuda de U$100.000 em suprimentos para apoiar as pessoas de Tacloban … A realidade para nós é que a necessidade é muito grande, e nós queremos dar uma resposta significativa (…). A tarefa é imensa, e nossos recursos extremamente limitados.  Encorajamos todo o apoio em oração para todos aqueles que foram devastados por essa calamidade.”

Doações para apoiar o trabalho do Exército de Salvação nas Filipinas podem ser feitas pelo site secure.salvationarmy.org .

Fonte: http://www.salvationarmy.org/ihq/news/inr111113b
Tradução e adaptação: Tiago Mendes

 

Exército de Salvação em Ruanda ajuda refugiados do Congo

O Exército de Salvação em Ruanda está respondendo ao crescente número de refugiados que cruzam a fronteira fugindo do conflito na República Democrática do Congo. Um centro transitório em Nkamira, que foi construído inicialmente para 2.000 pessoas e depois ampliado para abrigar 5.000 pessoas, agora abriga mais de 9.000.

O Major Robert Tuftström com moradores do acampamento transitório Nkamira.

O Major Robert Tuftström com moradores do acampamento transitório Nkamira.

Por essa causa um novo acampamento foi preparado em Mugombwa, e muitas pessoas estão se mudando para lá.

A maioria dos refugiados fugiram carregando apenas itens essenciais. Muitos têm problemas respiratórios e quase 90 por cento dos residentes no centro transitório são mulheres ou crianças.

Tendo mostrado experiência na distribuição de itens não perecíveis, o Exército de Salvação foi contatado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) com o pedido de apoiar os refugiados recém chegados a Mugombwa com colchões e kikoyis (um tecido usado como roupa e como lençol). O Exército de Salvação também está fazendo parte do comitê governamental criado pelo Ministério de Gerenciamento de Disastres e Refugiados do governo ruandês (MIDMAR) que está respondendo à crise.

Fundos iniciais foram levantados – incluindo US$ 28.000 do Quartel Internacional da instituição em Londres – e o Exército de Salvação espera ser capaz de fornecer colchões e kikoyos para o primeiro grupo de 1.500 refugiados que chegarão no acampamento nos próximos dias.

Reportagem do Serviço Internacional de Emergência
Quartel Internacional do Exército de Salvação
Tradução Livre (Tiago Mendes)
Fonte: http://www.salvationarmy.org/ihq/news/inr251013b