Haiti – Informativo 3

Equipes do Exército de Salvação no Haiti continuam a concentrar as atenções nas 12.000 pessoas que vivem nas áreas em torno de um grande campo de futebol atrás do principal complexo do Exército de Salvação em St Martin, um bairro de Porto Príncipe. A coordenação das Nações Unidas designou o Exército de Salvação como a organização humanitária para liderar as operações no estádio de futebol e em outra área, ambas adjacentes ao Exército de Salvação. Essa designação oficial coloca sob os cuidados diretos do Exército de Salvação mais de 20.000 pessoas desabrigadas pelo terremoto.

Antes do terremoto, o Estádio de 10.000 lugares, era geralmente usado para jogos de futebol e shows de música, sendo o vizinho mais próximo do complexo do Exército de Salvação. O terremoto de 12 de Janeiro destruiu todos os assentos sobrando apenas as três primeiras fileiras. Os assentos superiores desabaram, mas deixaram o gramado e os restantes dos lugares intactos. Rapidamente o local se tornou uma nova área residencial de acomodações compostas de paredes temporárias de papelão e com proteção de plástico e algumas barracas.

O registro das pessoas que vivem no campo está quase completo. Isto é importante porque, as entregas das rações alimentares pelas Nações Unidas serão eventualmente vinculadas ao número de pessoas cadastradas em qualquer dos distritos.

Equipes do Exército de Salvação distribuíram mais de 24.000 refeições na área em torno do seu complexo. A comida tem sido fornecida pelo Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas. Um sistema com capacidade de purificação de água para cerca de 37.000 litros por dia, está também em operação. O sistema de água foi fornecido pela EDGE, uma agência humanitária Cristã.
Tenente-Coronel Lindsay Rowe (Vice Presidente do trabalho do Exército de Salvação no Caribe) diz que a área de St Martin em que o Exército de Salvação está trabalhando é considerada uma das mais perigosas em Porto Príncipe. Por motivos de segurança a imprensa tem sido avisada pelas autoridades locais para manter-se afastada.
O Exército de Salvação possui 60 anos de ministério em St Martin e o movimento é bem respeitado e apreciado. O complexo inclui os edifícios da administração, igreja, uma escola, lar para crianças, um programa de alimentação e uma clínica médica. Muitos dos edifícios foram danificados e alguns se tornaram completamente inutilizáveis pelo terremoto. No entanto, a área está sendo bem utilizada para coordenar a resposta de emergência, distribuição de alimentos, serviços médicos, cuidados em geral e de apoio a população local.

Como um pequeno sinal de que a vida continua, o Exército da Salvação está reabrindo uma escola em um local temporário no seu complexo em Porto Príncipe. Dois dos principais edifícios que eram usados para as escolas foram destruídos no terremoto e as pessoas têm medo de entrar em edifícios que ainda estão de pé. Trabalhadores do Exército de Salvação continuarão a fornecer proteção, alimentação e assistência médica necessária às crianças de três a seis anos de idade.

Antes do terremoto, 1.500 crianças frequentavam a escola do Exército de Salvação, patrocinado pela Kindernothilfe (KNH). O Exército da Salvação vai oferecer escola diária e apoio para centenas de crianças de três a seis anos nas próximas semanas.

Trabalhadores do Exército de Salvação também estão ajudando as pessoas de outras áreas atingidas. Uma cantina móvel distribui comida e água para as aldeias e bairros periféricos de Porto Príncipe. Além disso, 4.000 pares de sapatos leves foram distribuídos. Pessoal de segurança das Nações Unidas está prestando apoio para garantir uma distribuição eficiente e ordenada.

Uma equipe de avaliação se deslocou até Petit Goave, uma cidade costeira 68 quilômetros ao sul de Porto Príncipe, que foi seriamente danificada pelo terremoto. Tem sido muito difícil para a ajuda chegar até a área por causa dos destroços que bloqueiam a estrada.

Major Emmanuel Michaud e Capitão Serge Lainne, oficiais do Exército da Salvação nascidos no Haiti, mas servindo no E.U.A., realizaram a avaliação e irão coordenar o esforço de socorro na região. Major Michaud diz: “Será uma jornada difícil, porque as estradas estão bastante danificadas, mas com cautela, cuidado e com a ajuda de Deus poderemos levar voluntários, materiais e esperança para aquelas pessoas.”

Os membros da equipe continuam a participar das reuniões de equipes da ONU para coordenar as atividades de socorro com outras organizações maiores e assegurar o uso mais eficiente dos recursos. Os trabalhadores dizem que a alimentação é uma necessidade tão desesperada que muitas pessoas, apesar de gravemente feridas, entram na fila para receber os alimentos antes de procurar tratamento médico porque eles sentem que, a falta de alimentos, é a maior ameaça à sua sobrevivência imediata.

Cerca de 200 pessoas tem recebido tratamento médico diariamente. As equipes médicas auxiliaram no parto de vários bebês no complexo principal e também foram enviados para vários orfanatos na área para ajudar as crianças e bebês que receberam pouca ajuda desde o terremoto.

O primeiro carregamento de suprimentos, incluindo comida e água, tem chegado a Porto Príncipe. A entrega foi por terra vinda de Santo Domingo, na vizinha República Dominicana. Os alimentos e água serão distribuídos assim que a logística para uma distribuição ordenada estiver organizada e coordenada com o apoio da Organização das Nações Unidas.

Quatro contêineres de alimentos, água e produtos de higiene pessoal da Jamaica são previstos de chegar hoje (26 de Janeiro) em Lafiteau, um pequeno porto distante 12 milhas de Porto Príncipe. Dois destes recipientes foram preparados pelo Exército de Salvação na Jamaica e serão distribuídos pela equipe do Exército de Salvação em Porto Príncipe.

Um segundo carregamento ainda maior organizado pela base da “World Services Organisation” do Exército de Salvação (SAWSO), e transportado através da empresa de entregas UPS, está a caminho através de Santo Domingo. O carregamento é composto por 20 engradados de comida que irão fornecer mais de 91.000 refeições e água em garrafas de meio e 3 litros.

Centenas de voluntários continuam a se apresentar na sede do Exército de Salvação em Kingston, Jamaica. Lá eles recebem, classificam e embalam as muitas doações de alimentos e roupas que chegam ao armazém de estocagem do Exército de Salvação.

O Exército de Salvação está trabalhando com o governo Haitiano, os militares Americanos, a agência que administra emergências do governo Americano (FEMA), a ONU, outras organizações não-governamentais e os seus parceiros empresariais para realizar uma ampla resposta ao desastre.
Tenente-Coronel Rowe diz: “Nós continuamos profundamente comovidos com o apoio que o Território do Caribe está recebendo de todo o mundo. Nossas necessidades mais urgentes são de oração e de finanças para sustentar um compromisso de longo prazo para reconstruir um Haiti melhor.”

Fotos sobre o trabalho do Exército de Salvação no Haiti: http://www.flickr.com/photos/salvationarmy

Diretor da UPS se envolve com o trabalho do Exército de Salvação no Haiti:
http://blog.salvationarmyeds.org/?p=544

Mais Informações:
http://www.salvationarmyhaiti.org/
http://www.salvationarmycarib.org/

One thought on “Haiti – Informativo 3”

Os comentários estão fechados.